Bacharel de Direito, estudante de Teologia, pós graduanda de Direito, escritora, empresária e blogueira. Quase mulher, quase gente, quase anjo, quase santa. Apaixonada por nuvens e mar. Nem muito doce e nem tanto amarga. Feita de carne, osso, pele, cor e poema.

18 de março de 2013

Pela janela


No recanto onde o mar não nos encontra,
Sobre a cama do prazer,
Com os olhos cerrados,
E o amor ao lado.

Tem janela de vidros multicores,
Tem céu azul, nuvens brancas,
Tem paixão em ventania,
Tem amor, tem amor...

Paredes coloridas guardam segredos
De tanto fascínio da sensualidade
Exalando desejo,
Nus, desmedidos, destemidos.

Homem,
Mulher,
Amor
E bem-querer.

Juliana Soledade
 Itabuna/BA, 18 de Março de 2013
Noite de chuva e de saudades

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário